Arquivo da tag: andrea silveira

A voz alta da consciência

Hora do rush. Não temos como escapar do cenário caótico, turbinado pelo vai-e-vem dos carros, ônibus e das milhares de pessoas que fazem lembrar um formigueiro em plena atividade. Visualmente, chega a ser assustador todos aqueles corpos passando uns pelos … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , , , | 2 Comentários

Vendo o visível, enxergando o invísivel

Quando eu era adolescente fiz um um curso de fotografia na escola em que estudei durante o intercâmbio. A ideia de registrar tudo me atraia e, empolgada, adquiri minha primeira câmera. Claro, na época, tudo era manual e ainda usávamos … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , , , , | 6 Comentários

Nós, mulheres, somos raras!

Era final da tarde, o sol estava se recolhendo e as mulheres terminando o primeiro turno de trabalho. Alinhadas com enormes fardos de folha de chá na cabeça, aguardavam sua vez para pesar a produção do dia, antes de voltarem … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , , | 2 Comentários

O bálsamo do perdão

Sempre me disseram, diferentes pessoas e em momentos diversos, que o ressentimento faz muito mal para o nosso coração. Tem até aquela frase célebre, atribuída ao Shakespeare, ensinando: “a raiva é um veneno que bebemos esperando que os outros morram”. … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , , | 2 Comentários

Uma causa pra viver e pela qual lutar

Não importa qual, diziam os existencialistas, mas é necessário ter um sentido de vida. E a verdade é bem essa mesmo: se você não sabe para qual direção caminhar, não tem “vento a favor” que resolva. A ventania logo se … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , | 1 Comentário

As pessoas tóxicas de cada dia

É bem provável que todas as pessoas, sem exceção, conheçam, com maior ou menor grau de intimidade, pelo menos um “anão zangado”. Ele se multiplicou como os Gremlins e agora estão espalhados pelo mundo, resmungando pelos cantos e maldizendo as … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

Nada é o que parece ser

Sempre ouvi dizer que as coisas não são exatamente como parecem ser. Inclusive, me lembro da propaganda de um shampoo contra caspa que usava exatamente este chavão para promover a ideia de que tomamos por pressuposto algo, acreditando que é … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário