Arquivo do autor:Andrea Silveira

A morte que cai bem

  Ainda estava escuro quando despertei com um sonho revelador. Daqueles que tira nossa vontade de dormir e a substitui por caraminholas construtivas. Não fosse assim, bastava virar do outro lado e cochilar até amanhecer. Mas esse tipo de sonho, … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , | 1 Comentário

Meu melhor mergulho

Há alguns meses, uma amiga e eu começamos a planejar nossa viagem a Fernando de Noronha. O paraíso prometido, sem dúvida, trouxe muita empolgação e não poupamos esforços para realizar esse sonho. Uma das primeiras sugestões que recebi foi fazer … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

No paradoxo do desejo pelo outro

A palavra pode soar um tanto sofisticada, mas o significado de “paradoxo” é bem simples: aquilo que é e não é. Ou seja, algo que não tem lógica, nem nexo, e se apresenta de uma maneira contraditória. Um bom exemplo … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , | 2 Comentários

Reencontros e despedidas

Quando nascemos, parece que somos colocados em uma linha do tempo contínua, sem que saibamos exatamente onde é o começo, o meio e o fim. Simplesmente vamos vivendo as experiências que surgem ao longo do caminho, mas não temos uma … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

A morte do homem de ferro

Após intenso lobby do meu filho para que eu fosse assistir Avengers, me deixei convencer. Diria mesmo que senti meus princípios sendo corrompidos quando comprei o bilhete do cinema. Por outro lado, confesso, o fato de estar pagando meia ajudou … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

Te amo até o extremo

Um pulinho pra frente, mãos para o alto. Um pulinho pra trás, as costas se repousam na cadeira. Nos intervalos do apagar e acender das luzes, por causa da oscilação de energia, ela puxava os fios de cabelo para o … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O silêncio que me habita

Imaginar que o silêncio é assustador e solitário apenas demonstra a nossa falta de conhecimento. Sem nenhum julgamento, que fique bem claro. O “desconhecimento”, neste caso, refere-se unicamente ao fato de não termos experimentado, ainda, silenciar a nossa mente. E … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, contos e poemas, Meditando | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário