Tudo certo como dois e dois são cinco

foto_Réaud Valérie Photographies_eyes

Transformar o mundo? Não! Não se trata mais de mudar o mundo. Ele é o que é, exatamente do jeito que precisa ser para acolher as mais diferentes necessidades de crescimento espiritual dos seres que aqui transitam. O mundo não está errado, nada nele é injusto e, consequentemente, dispensa os super-heróis que se lançam na tarefa de salvá-lo. Talvez careça de regeneração e renovação das suas forças e potencial para dispor de novas oportunidades de ensinamento, mas tudo o que ocorre nele, desde sempre, por mais triste ou complicado que possa parecer, tem uma razão justa e precisa para existir e um propósito a servir.

Portanto, está tudo certo com a soma dos fatores e cada evento encontra-se em seu devido lugar, na hora exata para amadurecer os frutos que nos alimentarão, de acordo com a nossa singularidade. Claro, por sermos diferentes, há infinitas realidades e também ensinamentos que contemplam, particularmente, nosso aprendizado e impulsionam o processo de iluminação. Assim, compreender que os moinhos são imaginários é fundamental e libertador, pois assimilando essa verdade, conseguimos nos desprender dos fatos que nos parecem reais para encararmos as ilusões da mente com leveza e agirmos em sintonia com o que Somos.

Afinal, transitar nesse mundo é um privilégio concedido para acelerar o desapego e aceitar a impermanência e a relatividade de tudo. Dessa maneira, podemos evitar qualquer ordem de sofrimento, posto que tudo passa e nada resta para sempre da mesma forma. Então, para quê procurar nossas respostas na vida exterior? É desnecessário fugir quando carregamos a dor na alma; ela só se desfaz com o auto-perdão, independente de onde estivermos. Não há o que buscar fora de nós quando a luz divina e sagrada está justamente em nosso Ser; a iluminação vem de dentro e também independe de onde nos situamos. Tudo depende, exclusivamente, de encontrarmos a nós mesmos ali onde Existimos.

Não precisamos ir a lugar algum, nem levantar bandeiras por nenhuma causa. Basta olharmos para o reflexo das experiências espirituais que vivemos e reconhecer que a felicidade não é mesmo desse mundo. Certamente, viver nesse contexto material abre a consciência para a grandeza da nossa existência e predispõe a alma para acolher sua simplicidade. E, para tanto, podemos estar onde estamos, desde que estejamos onde Somos.

É tempo de reforma íntima, nada mais ou diferente disso. Apesar dos constantes flagrantes coletivos, disparadores das mais variadas crises humanas a que temos sido expostos ultimamente, o momento pede concentração nas atitudes individuais. É chegada a hora de vivermos pessoalmente as mudanças que desejamos para o nosso mundo e isso só é possível com as micro-intervenções: estará tudo certo quando agirmos de maneira coerente com a nossa essência divina, sabendo que dois mais dois nunca serão quatro!

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Tudo certo como dois e dois são cinco

  1. Cassiane disse:

    cheers !

  2. Renato disse:

    A nossa evolução é ser feliz com o que não almejamos.

  3. Marco Aurélio de Oliveira disse:

    Grato Andréa, por esse lindo texto, e por acreditar nessa linha de pensamento que não temos que mudar o mundo e sim mudar nossas atitudes e caminharmos com coerência chegando a hora que tiver de chegar, meus sentimentos ficam leves e tranquilos, gratidão!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s