Saboreando a montanha russa

Foto: banco de imagens da internet

Foto: banco de imagens da internet

A imagem de uma montanha russa descreve claramente nossa passagem por esse mundo: você compra o ticket na chegada e já embarca no vagão com frio na barriga, pois sabe que irá experimentar fortes emoções. A existência dos trilhos não garante a certeza do caminho e, apesar de termos uma noção dos altos e baixos, das curvas à direita e à esquerda, não sabemos exatamente em que momento passaremos por cada uma dessas posições. É sempre uma surpresa e nunca estamos realmente preparados para a viagem.

Cada momento traz uma novidade, mas não necessariamente algo novo. Ainda assim, somos despertados pelos eventos inusitados que mostram a força de viver e consumidos pelos acontecimentos rotineiros que nos jogam de volta para a comodidade das nossas escolhas. Num instante, acolhemos as alegrias com todas as forças da alma, experimentando tudo que se passa ao nosso redor, mas no momento seguinte, nos entristecemos com as adversidades do trajeto, perdendo o paladar para a beleza do tempo presente.

Muitas vezes, o vagão desce tão rapidamente que nos faz querer saltar porque já não aguentamos as sacudidas das incertezas. Quase desistimos de tudo por desacreditar no próprio potencial e passamos a desconfiar do maquinista, achando que ele está demorando demais para mudar o percurso. Em outras circunstâncias, nos agarramos ao menor sinal de amor e quando o vagão sobre novamente, alcançamos níveis tão altos de esperança que nos sentimos no paraíso.

Na verdade, como explica Fernando Pessoa, “por mais alto que subamos e mais baixo que desçamos, nunca saímos das nossas sensações. Nunca desembarcamos de nós.” E é então que nos damos conta de que não adianta mudar de brinquedo, pois levaremos sempre conosco essa oscilação natural entre os opostos.

Faz parte do caminho transitar entre certezas e incertezas e o desafio maior não está em encontrar a estabilidade, mas em encontrar satisfação e crescimento em qualquer posição. Altos e baixos, para lá ou para cá, há sempre uma lição contribuindo para o nosso desenvolvimento e a decisão sobre como incorporá-la cabe apenas a nós.

Por mais difícil que seja uma situação, temos a opção de abrandá-la de alguma maneira. Mesmo quando desembrulhamos o presente e nos decepcionamos com o que encontramos dentro do pacote, já vale a diversão de descobrir que o futuro nos reserva um outro tempo. E assim vamos, saboreando a viagem na montanha russa, de olho na luz que parece piscar no final do túnel!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Saboreando a montanha russa

  1. sonia silveira disse:

    Verdadeiríssimo !!! 👏👏👏

    Enviado do meu iPhone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s