A culpa é dos políticos!!

Já faz um tempinho que tenho me sentido intrigada com algumas manifestações sobre a política brasileira e sobre as políticas públicas no Brasil. Mas, antes que vocês me acusem de fazer desse espaço um palco para os meus desabafos públicos, já vou adiantando que o tom não é de lamentação. É só uma pulguinha atrás da orelha, para pensarmos se somos responsáveis ou se estamos engajados com a nossa nação.

FOTO E TEXTO DO FELIPPE DE ALENCAR “Além da propagação do preconceito genérico e desinformação O assunto da vez: bolsa crack. Você já deve ter visto alguém compartilhando algumas groselhas dizendo que agora as pessoas ganham dinheiro por usar crack, que ganham mais que um salario mínimo, mais do que uma pessoa trabalhadora, rable, rable, rable. A gente já começa com um nome totalmente impreciso, que leva ao preconceito genérico que segue outros tipos de auxílio. Aposto um chiclete e um clipes que você não sabia que o nome do programa é Cartão Recomeço. Além disso, foi inspirado num programa mineiro chamado Aliança pela vida. Aliança pela vida virou "bolsa crack". Valeu grande mídia pelo desserviço. Mas vamos lá: primeiro ponto, o auxílio não é para o dependente.  Segundo, o auxílio não é simplesmente para a família do dependente.  Terceiro, e bem importante, não é dinheiro. Pare de ser idiota e dizer que alguém tá ganhando mais do que um trabalhador que ganha um salário mínimo, o auxílio não fará dinheiro físico circular. O recurso só pode ser liberado pra uso em clínicas credenciadas. Vale lembrar que a luta contra o crack é um problema de grande complexidade, e que outras políticas como internação compulsória não dão bons resultados. O tratamento de dependência química não é barato. E se você acha que a gente tinha que "juntar todos esses vagabundo e mete bala", infelizmente ainda não existe auxílio pra tratamento da sua doença, mas já que você não é vagabundo, pode se virar pra conseguir tratamento por si só. Agora a desinformação, essa tem cura, é bem barata e está acessível pra você se você leu até aqui e sabe usar o google”.

FOTO E TEXTO DO FELIPPE DE ALENCAR
“Além da propagação do preconceito genérico e desinformação
O assunto da vez: bolsa crack. Você já deve ter visto alguém compartilhando algumas groselhas dizendo que agora as pessoas ganham dinheiro por usar crack, que ganham mais que um salario mínimo, mais do que uma pessoa trabalhadora, rable, rable, rable.
A gente já começa com um nome totalmente impreciso, que leva ao preconceito genérico que segue outros tipos de auxílio. Aposto um chiclete e um clipes que você não sabia que o nome do programa é Cartão Recomeço. Além disso, foi inspirado num programa mineiro chamado Aliança pela vida. Aliança pela vida virou “bolsa crack”. Valeu grande mídia pelo desserviço.
Mas vamos lá: primeiro ponto, o auxílio não é para o dependente.
Segundo, o auxílio não é simplesmente para a família do dependente.
Terceiro, e bem importante, não é dinheiro. Pare de ser idiota e dizer que alguém tá ganhando mais do que um trabalhador que ganha um salário mínimo, o auxílio não fará dinheiro físico circular. O recurso só pode ser liberado pra uso em clínicas credenciadas.
Vale lembrar que a luta contra o crack é um problema de grande complexidade, e que outras políticas como internação compulsória não dão bons resultados. O tratamento de dependência química não é barato.
E se você acha que a gente tinha que “juntar todos esses vagabundo e mete bala”, infelizmente ainda não existe auxílio pra tratamento da sua doença, mas já que você não é vagabundo, pode se virar pra conseguir tratamento por si só.
Agora a desinformação, essa tem cura, é bem barata e está acessível pra você se você leu até aqui e sabe usar o google”.

Dessa vez, a última gota do copo veio do Felippe de Alencar. Não conheço essa pessoa; apenas vi um post dele sobre a “bolsa crack” circulando na página de uma amiga. E fui fisgada!

Justamente porque ecoa forte na minha consciência que não podemos culpar a política pelas decisões incorretas de algumas pessoas (políticos). Mas, também não podemos culpar essas pessoas por representarem seus grupos de interesse. Elas estão lá, cumprindo seu papel. E o núcleo da discussão deveria ser outro.

Existe uma grande malha de interesses que tende a ser, o tempo todo, acomodada. Ora atende a um grupo social, ora a outro. É uma trama complexa determinada, ou influenciada, pelas contingências sociais, econômicas e ideológicas. Faz parte do jogo político, do fazer política e políticas públicas.

A questão por trás disso é que nós, ingenuamente (será??), ficamos culpando o sistema, a política, as pessoas que estão lá representando a população. O tempo todo, parece esquecermos que esses fazedores de políticas, esses tomadores de decisões, só chegaram lá por causa do nosso voto. Sim, o seu, o meu…

Porém, nos supomos isentos da responsabilidade, quando saímos em defesa própria, lembrando em voz alta: mas, eu nem votei nesse fulano… meu candidato não é corrupto… isso é culpa desse povo, que não sabe votar e vende sua dignidade nas eleições!!

Nossa política é uma falácia criada por diferentes atores. Nós fazemos parte desse elenco. Temos um papel protagônico. Então, não podemos simplesmente criticar o que se tem feito por aí, sem ao menos procurarmos entender mais e melhor as problemáticas sociais e econômicas.

Precisamos cuidar para não cairmos no engodo de achar que, porque a classe média sofre as consequências da precária gestão da política brasileira, não precisamos de política para a preservação do jacaré, ou de uma política de direitos para infratores, sejam eles menores ou maiores. Isso é muito ingênuo da nossa parte.

O problema não é a política brasileira. É a falta de engajamento individual no cenário social. O que estou defendendo é que “também morre quem atira”, como disse alguém na semana passada. Ou seja, estamos todos implicados, em tudo. Para o “bem” ou para o “mal”, mas sem julgamento.

São as nossas ações individuais que contam. Nossa participação é fundamental e não podemos perder a oportunidade de fazer diferente. Precisamos ficar mais atentos. Afinal, é preciso uma andorinha para começar o verão. É preciso uma só semente para germinar a árvore. Apenas um cidadão para começar a mobilizar a polis!

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para A culpa é dos políticos!!

  1. Luciane Bradasch disse:

    Amei esse texto do Felippe de Alencar, fenomenoso!!! A desinformação vira cicuta na boca dos bocudos. Pra esses que pegam a rebarba do assunto e querem papagaiar suas opiniões aos ainda menos informados do que eles (se é possível…), a compreensão do tema e a necessidade de alardear asneiras são inversamente proporcionais. Acham que é só sair pelo país tropical fumando crack e ganhar um cartão de crédito assistencial? Tipo Alice no País das Maravilhas? Todos os governos do planeta estão se descabelando pra achar uma maneira de vencer essa pandemia que é o crack. Todas as tentativas são válidas, pra amenizar a dor lancinante das famílias emocionalmente, afetivamente esquartejadas por essa pedra maldita, enquanto um milagre não acontece. Até lá, quem não faz nada pra ajudar ajudaria muito só ficando de boca fechada! E aproveitando esse tempo pra se informar antes de abrir a boca de novo.

  2. dagmar duwe disse:

    Andrea querida! Voc uma linda pessoa! teus textos maravilhosos. Participei da campanha do voto Distrital. Te amo!!!! beijos. Date: Tue, 14 May 2013 23:29:35 +0000 To: dagduwe@hotmail.com

  3. dagmar duwe disse:

    DIVULGANDO!!!!!!!!!!

    From: berenice.lessa@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s