Começando nova fase da vida

Desde o meu último post, muitas coisas se passaram. Entre elas, uma mudança importante de país (vou morar 9 meses em Conakry, na República da Guiné, África), de trabalho (vou trabalhar com os Médicos Sem Fronteiras), e uma viagem maravilhosa pelo Caminho Inca (que fiz recentemente com o meu filho Pablo). Para quem acompanha meus passos, mudança é a minha palavra-chave. Sempre em movimento, tenho experimentado a vida nas suas diferentes perspectivas e aproveitado as oportunidades para alargar meus horizontes. Nem sempre acabo mudando aquilo que preciso mudar, mas pelo menos me lanço na roda do mundo e procuro girar junto com a energia transformadora.

Mudança, quando é para aprimorar aquilo que somos, é sempre muito saudável. Levanta nosso astral, sacode a poeira e faz com que passemos a enxergar melhor a nós mesmos e ao mundo em nossa volta. Mudança, quando aproveitada na sua essência, tira a gente da zona de conforto e impulsiona novos aprendizados. Mudança é experimentar a si mesmo e ao fluxo da vida. Às vezes, provocada por fatores externos, outras por motivações internas e em alguns casos, pela combinação dessas duas variáveis.

No meu caso, de novo, não consigo nem definir. Quando conto para as pessoas sobre as mudanças que ainda estou para viver, algumas delas me dizem: “espero que você encontre aquilo que busca”. Outras se solidarizam e dizem: “tomara que você se encontre” ou “que você se realize” ou mesmo “que você encontre a felicidade que procura”.

Embora eu entenda o sentido positivo que as pessoas atribuem as suas falas e sinta a sua torcida sincera pelo “sucesso” das minhas empreitadas, não deixo de me inquietar com o eco que essas colocações fazem dentro de mim. Seria possível uma pessoa ainda transitar nesse planeta sem estar buscando alguma coisa? O que o fato de já me sentir realizada com a vida faz de mim? Uma pessoa que não sabe reconhecer seus vazios e se coloca na busca permanente do todo? Ou uma pessoa em paz com os vazios que a definem e que se coloca à disposição do todo?

Lembro-me de um período de noites escuras e provações, numa época em que eu estava sempre correndo atrás da felicidade, mas não a encontrava. Fazia um monte de coisas e nada. Experimentava um monte de coisas e nada. Atribuía a responsabilidade pela minha realização e felicidade a tudo e todos que estavam ao meu redor e, óbvio, nada. A felicidade nunca estava presente e sempre parecia algo a ser alcançada num futuro qualquer.

Custou muito, em vários sentidos, para que eu finalmente entendesse o significado de “Felicidade”. E foi quando compreendi realmente o seu lugar é que passei a Ser Feliz, permanentemente. Claro que fico triste com os antagonismos e desequilíbrios que permeiam nossas sociedades. Claro que fico chateada com as adversidades da vida. Claro que essas coisas mobilizam sentimentos profundos em mim. Mas, me sinto feliz mesmo com tudo isso.

Seria a felicidade plena, ou qualquer outra plenitude, apenas uma ilusão? Ou simplesmente o estado da alma que encontrou dentro de si o amor incondicional e tenta romper com as fronteiras geofísicas da sua condição material? O que entendo é que nenhuma doença, nenhum problema material, nenhum desentendimento pessoal, nenhum desencontro afetivo, nenhuma dificuldade profissional, nada mais pode tirar de mim essa condição de Ser Feliz. Onde quer que eu vá, o que quer que eu faça, Minha Alma É Feliz!

Por isso acredito e sinto que todas as mudanças e movimentos que vivo não são a “procura” da felicidade ou a “busca” da auto-realização.  Simplesmente porque já encontrei dentro de mim a fonte da felicidade. Portanto, reconheço essas mudanças e movimentações como sonhos que transcendem a esfera do ideal para se concretizarem na realidade da minha alma. Do racional abstrato para o palpável com os braços do coração.

E assim, deixo-me abraçar por essas oportunidades, como uma filha que recebe do Pai Divino um presente de proporções eternas. Entrego todo o meu Ser à certeza da ressonância espiritual que essas experiências implicam. E agradeço.

Deixo crescer dentro de mim um sentimento forte de responsabilidade por Ser Feliz e de compartilhar isso ao meu redor, onde quer que eu esteja. E agradeço mais uma vez.

Permito que meu pensamento seja inspirado pelo conhecimento e vivência de outras pessoas, tomando para mim suas lições de humildade e determinação. E agradeço eternamente.

Coloco-me a serviço do meu desejo, confiando e reconhecendo sua sincronia com o universo. E então, concluo: não há busca; apenas realização!

Aos que acompanham a minha trajetória, aos que compartilham o mesmo caminho ou os seus atalhos, deixo registrado o meu carinho e o desejo de permanecer no seu radar. Estarei aqui sempre que o acesso ao mundo virtual for possível, tentando manter uma luz acesa dentro do meu coração, agora africano!

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , . Guardar link permanente.

12 respostas para Começando nova fase da vida

  1. Katia disse:

    Andrea,
    Obrigada por me convidar a conhecer teu blog e ter a oportunide de te reencontrar!!!!!
    Mais uma vez em movimento de mudança, aberta para o novo…. isto é muiiito bom!!!!!!
    Um grande abraço e sucesso sempre!!!!
    Katia

  2. Daniel disse:

    É isso AS !Mais um desafio na sua vida ….Vá em frente e seja feliz.
    Bjs
    Dani

  3. Marta Rosani Farina disse:

    Fico feliz por vc e suas palavas sempre iluminam minha alma. Boa Viagem!

  4. Carolina disse:

    Que esta Luz permaneça acesa por todo o seu caminho, sempre!!!
    Grande beijo e sempre te acompanhando em pensamento
    Cacá

  5. Silvana Abdalla Rassi disse:

    Queridona, como sempre, com muito amor eu desejo que sua caminhada seja muito rica e cheia de aprendizados. Que consiga emanar a sua luz com boa vontade e desprendimento como sempre fez em todas as vivências de trabalho social. E sempre com muita saúde para aguentar qualquer dificuldade que encontre nesse novo desafio. Estarei sempre sintonizada com você aqui ou por emails. Saudades da sua companhia e de nossas longas conversas!

  6. Luiz Tannous disse:

    Essa é minha amiga!!!!

    e…isso é viver! Plenamente….Intensamente…pura e…simplesmente!

    Beijo grande!

    Luiz

  7. Thais Siqueira Perricelli disse:

    Querida Madrinha!

    Compreendo o que disse sobre a busca pela felicidade e concordo quando concluiu que talvez não se trate de uma eterna busca mas de constantes realizações que te completam e que a torna um Ser Mais Feliz!

    Acho que aí tem um pouco de uma legítima sagitariana que vê na liberdade de ser e estar um sentido para a vida, que sente nas mudanças o fluxo necessário de energia para se manter em pé e satisfeita, que busca o frescor do mesmo ar que todos respiram para planejar – ou não – um novo projeto!

    Desejo o melhor nesta nova etapa!

    Beijos saudosos,

    Thais.

  8. Ricardo Alexandre da Silva disse:

    Querida Andrea:
    Desejo que essas mudanças lhe tragam muita felicidade e alegria. Penso que viradas assim sempre são para melhor!
    Parabéns pelo site!
    Um forte abraço, com carinho,
    Ricardo.

  9. Flavio disse:

    Mana, já pode publicar o livro com este novo capítulo.

  10. Ju Bley disse:

    Como sempre acontece, acabo de compreender algo muito importante contigo Andrea. Fico me autodefinindo como uma “buscadora”…mas na verdade, não busco mais. Vivo na inteireza, no melhor que a vida me permite, sem vitimismo nem altas expetativas de ser algo muito diferente do que sou agora…apenas ser…e isso me contenta muito muito. Te agradeço. Beijo grande boa viagem mestra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s