Superação

Ontem, uma amiga compartilhou, em nosso grupo de vibração sua alegria por ter se curado de um câncer. Foi um depoimento emocionado e repleto de gratidão pela renovação da vida dentro de si. Suas palavras estavam recheadas de sabedoria, compreensão e Fé.

Na minha experiência com o câncer, aprendi que, além de ser uma lição complexa e importante tanto para o paciente que sofre na pele quanto para o acompanhante, a doença provoca verdadeira transformação.

Porém, essa transformação é privilégio de quem abre o coração para que a doença faça a faxina necessária na sua alma. Entendo que a função de toda doença seja exatamente criar a oportunidade para que o “doente” deixe de ficar doente. É um momento em que o universo chama a nossa atenção e que passamos a nos concentrar mais no determinado problema, sem dispersar nossa energia com a rotina desnecessária.

Entendo, também, que há doentes e doentes, acompanhantes e acompanhantes. Aqueles que veem a doença em si e aqueles que enxergam as janelas que ela abre para a sua evolução como um todo. Aqueles que amaldiçoam a situação e aqueles que abençoam a renovação do aprendizado. Aqueles que aproveitam para se debruçar sobre suas feridas, num gesto de auto piedade, e aqueles que, num gesto de coragem, se vestem de guerreiros e enfrentam tudo de forma otimista e positiva. Aqueles que acreditam que a doença é uma consequência trágica e aqueles que, humildemente, a aceitam como um caminho de crescimento.

Ao manter nosso foco na doença em si, podemos perder totalmente o seu objetivo. É preciso compreender que, assim como os sintomas são sinais de que alguma coisa não está funcionando no nosso organismo ou que a nossa emoção está desequilibrada, a doença também é um código de alerta que pede uma revisão de valores e posturas de vida. É como um artifício utilizado pelo universo para registrar a mensagem: há muito mais coisas para aprender sobre o céu, sobre a terra, e sobre viver na transição permanente entre essas duas esferas. Ou seja, é hora de acelerar um pouco a nossa ascensão. Se a gente mesmo não para, o universo para a gente!

Por que precisamos do sofrimento físico ou emocional para crescer?! Porque se não percorrermos caminhos de flores, podemos percorrer a dor como caminho. Cada um sabe o tamanho da cruz que consegue carregar e que sementes semeou.

Entendi da doença que, não importando qual o resultado ela impõe ao nosso organismo, se apreciarmos as verdades que ela proporciona sobre a nossa alma, estaremos conspirando a nosso favor.

Todo corpo precisa de um motivo para partir. Mas, a viagem da alma pode ser valorizada pelas apreensões que pôde fazer das suas experiências na matéria. Certamente, nossa conquista é fruto do nosso merecimento, por isso; seja lá qual for o resultado, terá sido a lição necessária!

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Superação

  1. Márcia Aparecida de Freitas disse:

    Andrea, parabéns pela nova etapa de sua vida, aguardo relatório dos Incas.
    bjs.
    Márcia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s