O dragão – AS

Minha sombra se reflete

meu dragão aparece,

ilumina o meu falo

a quem eu falo

e ajoelhada imploro

porque no amém

eu me demoro.

Minha chama se acende

e me mostra

o aquém da transformação

onde me escondo

com medo do além

com medo do ir além.

Minha alma me chama

e reclama minha ausência.

Minha voz explode

como sopro do dragão

borbulhando as sinapses

do meu coração.

Minha sombra me esclarece

e impele a coragem

de buscar-me e lançar-me

como flecha para o além

rompendo a barragem

cerceada pelo passado.

Esse post foi publicado em Crônicas, contos e poemas e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s