Curvando-se no caminho

Dostoievski observou que “um homem que não se curva perante coisa alguma, nunca conseguirá carregar o fardo de si próprio.” Malmente poderá enxergar o que ocorre ao seu lado, pois mantendo o olhar fixo no seu próprio caminho, não permitirá a si mesmo experimentar novos atalhos.

Já refleti sobre isso muitas vezes, mas sempre me deparo com mensagens que reforçam o questionamento: haveria um único caminho que eleva a alma ao estado pleno da nossa existência Divina?

Se formos um núcleo central da força Divina, o caminho está mais para ser descoberto internamente do que externamente. Por outro lado, insistimos em acreditar que nossa estrada é a única ou a mais efetiva. Porém, ao tocarmos o Divino dentro de nós, certamente o reconheceremos no mundo ao nosso redor e em todo e qualquer caminho construído sobre a única base que dá sustentação ao Todo: o amor!

Esse amor sem sobrenome ou adjetivos. Simplesmente amor.

Quanto mais estivermos amadurecidos nesse sentido (ou dentro desse sentimento), maior será nossa realização, mais ampla será a nossa consciência universal e menos afetados seremos pelas dificuldades de outrora.

curvandoO fluxo das vibrações positivas se encarregará de nos guiar. E, como escreve Paramahansa Yogananda, “sementes do karma passado não podem germinar se forem queimadas no fogo sagrado da sabedoria.”

A Fé consciente e a entrega à vontade divina são uma espécie de garantia pela vida a ser percorrida. Compõem, se assim é possível dizer, a “formula” mais eficiente e eficaz para superarmos a temporariedade da vida terrena, em busca da eternidade da nossa alma.

Se nos curvarmos diante dos fenômenos que, por hora, configuram o tempo e o espaço, compreenderemos a necessidade do fardo. Se queimarmos as sementes do karma nos libertaremos da ilusão do caminho único e absoluto. Isto representa a conquista interna, capaz de devolver à alma a sua paz infinita e inabalável.

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Curvando-se no caminho

  1. Juliana disse:

    Andrea, é por isso que me apaixonei pelos blogs! É tão gostoso a gente ver materializado nas palavras de um amigo as nossas crenças mais profundas….sinto como se este texto tivesse sido escrito para mim! hehehe…obrigada pela partilha, pela companhia na jornada e por compartilhar meu blog no seu espaço…que está lindo! Beijo com amor…Ju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s