“Não digas nada para além do teu silêncio”

Livro incrível de uma pessoa maravilhosa que tive o prazer de conhecer e, não por acaso, reencontrar dias depois para saborear um café passageiro, enquanto esperávamos nossos voos.

alem_do_teu_silencioRegistradas as nossas sombras no Forte de Copacabana, brincamos sobre a condição da mulher e reiteramos a força feminina, na eterna busca da individuação. As histórias são tão singulares e, ao mesmo tempo, tão lugar comum. Mas, não há dúvidas sobre a luz que faz refletir as sombras… uma espécie em ascensão, que saboreia cada canto escuro da sua alma travestida de guerreira, de santa e todos os outros arquétipos possíveis e imagináveis.

Seu livro foi um presente em um momento de transição (e não estamos todos permanentemente assim?!). No final do exemplar, páginas em branco que convidam os pensamentos a se teletransportarem para o papel.

“Anotações”: impossível não fazê-las, enquanto os versos viram do avesso os sentidos; enquanto as palavras pulam do livro e grudam-se, como imãs, nestes meus velhos conhecidos. É como um encontro daquilo que eu sou e sofro com aquilo que se apresenta diante dos meus olhos. De novo, velhos conhecidos que se “re-conhecem”.

Muitos sentimentos, sentidos e emoções vêm à tona. Sinal de vida, sinal de empatia e, muitas vezes, apenas um espelho.

Está certo: a lucidez não reflete luz nenhuma. Apenas (se é que isso já não é suficiente!), ilumina as poças d’água formadas pela chuva que inundou a alma. Nessas poças aparecem refletidos os pontos de interrogação.

Pontos esses que nos lançam à busca de respostas. Aquelas também velhas conhecidas que se abrigam entre as paredes do nosso ser. Pontos esses, portanto, que nos remetem ao encontro de nós mesmos.

Nesse caso, ao encontro de mim mesma no encontro com você no seu livro… Não digas nada para além do teu silêncio… é impossível obedecer ao comando!

Questões femininas, questões existenciais, mas principalmente, questões essenciais, colocadas nas entrelinhas, nas entre páginas, de forma poética, ética.

Anúncios
Esse post foi publicado em Meditando, Pensamentos alheios e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s